sábado, 7 de março de 2009

AHHh o Brasil ..!

" Essa é uma história real. Contada no dia 06 de Março de 2009, em um ponto de ônibus, em Itapevi. "


No ponto, em Itapevi, estava sentado um homem chamado Agemiro* falando sobre o calor que fazia em São Paulo. Eu participando da conversa citei a notícia do jornal dada no dia anterior, sobre o asfalto que derreteu por causa do calor no Paraná. Agemiro por sua vez deu sua opnião sobre o assunto e continuou falando sobre São Paulo.

Agemiro começa .:

- Aqui faz muito calor! É por isso que gosto do meu Pernambuco. Gosto tanto que há 34 anos não apareço lá!

- Só eu sei o que passei naquela terra. Pra vocês terem uma noção só descobri o que era "pão" quando cheguei aqui no Brasil ( Brasil = São Paulo ).

- Quando eu era criança lá tive que trabalhar e mal podia comer. Aqui tem esses muleques finos que só comem se tiver uma frescura no prato. Lá a mamãe fazia um panelão de feijão grosso. E nem tinha farinha. Tinha que comer puro. E quando enjoava, mamãe obrigava agente comer.

- Não tinha essa de " Olha o aviãozinho ! Bruuuuhhh"
Lá era " Come logo essa merda fi di uma égua prenha! "

- E se não abrisse a boca, ela metia um pisão no pé pra você gritar de dor, e quando gritasse ela enfiava a colher de feijão quente. E cospe pra ver!


- Teve um tempo que agente comia um ovo no almoço. Mas era um ovo pra todo mundo. Um ovo pra dividir pra todos. Um ovo cozido agente dividia em sete pedaços fatiados. Eu era esperto porque guardava uma fatia pra comer duas no outro dia.

- Depois agente começou a criar porco pra engorda. Agente criava e o dono matava e comia. E meu papai pedia a cabeça do porco pra mamãe fazer em casa de mistura.
Uma vez teve um porquinho que era pequeno e eu chamei ele de Chiquinho. Aí quando papai matou e pegou a cabeça pra levar, eu cheguei pra mamãe e falei .: " Olha mamãe, a cabeça de Chiquinho ! "

- Eu levei uma pisa esse dia. Imagina : Mamãe enjoada de comer cabeça de porco e chega eu feliz com outra cabeça e ainda chamando de Chiquinho.

- Depois de moço trabalhando aqui, começamos a melhorar. Eu descobri que existia pão. Gastava quase um salário inteiro em pão.

- Papai comprava 7 pães pra comer no dia todo. E agente comia só de manhã. Aí ele parou de dar pão e mandou dar comida de manhã. Já que pão não enche, taca comida nesses vermes.

- Aí agente comia comida todo dia. Arroz, feijão, carne ... carne ! Eita o Brasil é outra coisa. Tem até carne de boi.

- Um dia eu comprei um pão grande e passei um tablete todo de manteiga nele, peguei um copão de café e taquei pra dentro. Papai descobriu e me juro de coça. Eu corri e ele falo. Corre disgramado! Se eu te pegar vai ser pior !

- Aí eu parei de correr! Ele veio com um cinto de couro bem grosso e deu uma. O cinto quebrou na primeira.


Ele falo bem assim .: Oxii, nem comecei e ja quebrou!
Aí eu falei .: Ta bom papai!
Ele : Se ta bom eu vou continuar !
Eu .: Laskera ele vai me matar .!



Tudo descrito foram fatos reais de um senhor muito gente boa e engraçado que estava no ponto de ônibus em frente ao subcondomínio Morada dos Colibrís, em Itapevi, no Residencial das Flores.

=]

Um comentário:

Youkai Lion disse...

fatos, casos e acasos do meu Brasil(Brasil = São Paulo) xDDD